domingo, 27 de Janeiro de 2008

Entre dois Mundos...

Este Blog surgiu depois de quatro colegas de curso, do Mestrado em Sociologia da Universidade do Minho, terem assistido ao filme "Partition - Entre dois Mundos".

A grande maioria dos conflitos que se evidenciaram ao longo da história, retratam fundamentalmente uma série de conflitos religiosos e territoriais, envoltos nas diferenças étnicas, religiosas e culturais.

A 2ª Guerra Mundial constitui-se em oportunidade para os nacionalistas indianos, perante um grupo britânico desejoso da cooperação indiana durante o conflito. Por esta altura foi lançado o movimento “Quit Índia” (“Deixem a Índia”), bordão dirigido aos britânicos, ao qual a liga muçulmana não se associou de maneira formal. Seguiu-se um período de violência descontrolada na Índia provocada pela repressão ao movimento de desobediência civil de Gandhi e agravado pela fome catastrófica que levaria à morte de milhões de pessoas.
Partindo deste pressuposto, o filme Partition, retrata a multiplicação de confrontos violentos e sangrentos entre a
comunidade muçulmana, de um lado, e as comunidades siques e hindus, por outro. Resultante da separação da Índia e do Paquistão em 1947.
O filme conta a história de Gian Singh um militar com 38 anos, do exército índio-britânico que depois de dois anos em combate, volta para a Índia atormentado por ter perdido o seu amigo na guerra. Depois de devolver os pertences à irmã do falecido, Margaret Stilwell, Gian decide nunca mais voltar a combater preferindo viver pacificamente na sua aldeia natal, Punjab. Mas como esta povoação situa-se próxima da fronteira entre a Índia e o Paquistão, diversos assassinatos decorrem naquele espaço. Quando a vida de Gian estava a tornar-se mais serena, alguns hindus da sua aldeia assassinam um grupo de emigrantes muçulmanos. Naseem Khan uma jovem rapariga com 17 anos consegue fugir, deixando para trás a sua família. Muito fragilizada ela é encontrada por Gian, que acolhe-a na sua casa.
Depois de alguns obstáculos serem ultrapassados, como o facto de uma muçulmana viver naquela aldeia, um grande amor vai nascer entre Gian e Naseem. Depois de ambos criarem uma família, a amiga de Gian, Margaret, responde aos múltiplos pedidos de ajuda para encontrar a família de Naseem. Com muitas saudades, Nassem deixa a Índia para atravessar até o Paquistão por pouco tempo, com o fim de encontrar a sua família da qual foi “obrigada” a separar-se naquela tarde em que o seu pai foi assassinado, agora pelos seus novos vizinhos. Mas nem tudo corre bem quando ela chega à casa dos Khan, o que faz com que Gian entre numa grande aventura religiosa para lutar pelo amor da sua vida.


A sociedade não é apenas uma estrutura social, é também um complexo de processos sociais. Num dado momento as relações, valores e objectivos da sociedade estão particularmente estáveis, como noutro momento ocorrem mudanças sociais, por vezes tão rápidas que provocam uma visível perturbação na estrutura estabelecida. (Ó Dea, 1969) Quando ocorre a separação da Índia em dois fragmentos (Paquistão para os Muçulmanos e Índia para os Siques/Hindus) deparamo-nos com uma desordem na estrutura social, que se manifesta nas deslocações sistemáticas de um país para o outro, e nos massacres desenvolvidos por cada uma das religiões, gerando obrigatoriamente instabilidade e insegurança.

Género: Drama, Romance, Guerra
Título: Partition
De: Vic Sarin
Escrito por: Patricia Finn, Vic Sarin
Com: Jimi Mistry, Kristin Kreuk, Neve Campbell
Deixo-vos agora o trailer do filme para o ficarem a conhecer melhor...

2 comentários:

Anónimo disse...

Antes de mais começo por felicitar às três alunas o excelente trabalho que estão a ter ao desenvolver este blog. Conto visitá-lo assiduamente e na esperança de continuar a ver posts tão enriquecedores como os dois anteriores.

E a verdade é uma, num momento estamos numa situação de equilibrio, e no momento a seguir parece que já estamos num caos. Quer seja por mudanças de carácter social ou até de carácter natural. Mas cabe às forças humanas mobilizarem - se e trabalharem em conjunto para que o equilibrio possa ser novamente reavido.



Continuação de um bom trabalho.


Nasreen Seedat

Ana Paredes Mendes disse...

Antes de mais, desejo-vos boa sorte com o projecto...e com o mestrado!

A sociologia da Religi�o certamente que nos d� uma outra vis�o do que s�o as ci~encias sociais e mais ainda, do mundo que nos rodeia!

Bom trabalho!